Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Daqui Do Meu CANTIM-nho

Ser Feliz Sem Motivo é a Melhor Forma De Felicidade

Daqui Do Meu CANTIM-nho

Ser Feliz Sem Motivo é a Melhor Forma De Felicidade

Criei este blog para expor as minhas ideias os meus pensamentos e ficarem também a conhecer um pouco da minha vida bem vindos há minha casa

Amor de Cäo

8B5D7D27-ED8F-4C1B-8F5A-9CF48169602A

45045D3A-D574-4E35-88B0-7F9E8B952C45

 

 

 

Alguns textos que explicam o Amor destes companheiros unicos .

 

"Quanto mais conheço os homens, mais amo os cães."

Blaise Pascal

 

"Sinto pelos que não gostam de cães... pelo simples motivo de que nunca saberão o que é realmente ser amado, de verdade... pois nenhum outro ser vivo nos ama incondicionalmente..."

Melissa Salles

 

"Um cão é a única coisa na terra que o ama mais do que ama a sí mesmo."

Josh Billings

 

"Para um cão, você não precisa de carrões, de grandes casas ou roupas de marca. Símbolos de status não significavam nada para ele. Um pedaço de madeira já está ótimo. Um cachorro não se importa se você é rico ou pobre, inteligente ou idiota, esperto ou burro. Um cão não julga os outros por sua cor, credo ou classe, mas por quem são por dentro. Dê seu coração a ele, e ele lhe dará o dele. É realmente muito simples, mas, mesmo assim, nós humanos, tão mais sábios e sofisticados, sempre tivemos problemas para descobrir o que realmente importa ou não. De quantas pessoas você pode falar isso? Quantas pessoas fazem você se sentir raro, puro e especial? Quantas pessoas fazem você se sentir extraordinário?"

Marley e Eu
 

 

Testamento de um Cão

Minhas posses materiais são poucas
e eu deixo tudo para você...

Uma coleira mastigada em uma das extremidades,
faltando dois botões, uma desajeitada cama de cachorro
e uma vasilha de água que se encontra rachada na borda.

Deixo para você a metade de uma bola de borracha,
uma boneca rasgada que você vai encontrar
debaixo da geladeira, um ratinho de borracha sem apito
que está debaixo do fogão da cozinha
e uma porção de ossos enterrados no canteiro de rosas
e sob o assoalho da minha casinha.
Além disso, eu deixo para você a memória, que aliás são muitas.

Deixo para você a memória de dois enormes
e meigos olhos cor de mel, de um nariz molhado
e de choradeiras atrás da porta.

Deixo para você uma mancha no tapete da sala de estar
junto à janela, quando nas tardes de inverno
eu me apropriava daquele lugar, como se fosse meu,
e me enrolava feito uma bolinha para pegar um pouco de sol.

Deixo para você um tapete esfarrapado
em frente de sua cadeira preferida,
o qual nunca foi consertado com o tipo de linha certo....isso é verdade.
Eu o mastiguei todinho, quando ainda tinha
cinco meses de idade, lembra-se?

Também deixo para para você
as memórias da primeira surra que levei quando comi seu celular
e também todo o meu esquecimento ...

Deixo para você um esconderijo que fiz no jardim
debaixo dos arbustos perto da varanda da frente,
onde eu costumava me esconder do sol nos dias de verão.
Ele deve estar cheio de folhas agora
e por isso talvez você tenha dificuldades em encontrá-lo.
Sinto muito!

Deixo também só para você, o barulho que eu fazia
ao sair correndo sobre as folhas de abril,
quando vagabundeávamos pelo sítio.

Deixo ainda, a lembrança de momentos pelas manhãs,
quando saíamos junto pela margem das lagoas do condomínio
e você me dava aqueles biscrocks coloridos.
Recordo-me das suas risadas, porque eu não consegui
alcançar aquele coelho impertinente.

Deixo-lhe como herança minha devoção, minha simpatia,
meu apoio quando as coisas não andavam bem,
meus latidos quando você levantava a voz aborrecido...
e minha frustração por você ter ralhado comigo
todas as vezes que eu colocava o nariz debaixo da cauda.

Eu nunca fui à igreja, nunca escutei um sermão,
e sem ter dito sequer uma palavra em minha vida,
deixo para você lições de paciência, de tolerância,
e amor e compreensão.
Sua vida tem sido mais rica porque eu vivi.

Frank R
 

Tributo a um Cão.

O mais altruísta dos amigos que o homem pode ter neste
mundo egoísta, aquele que nunca o abandona e nunca mostra
ingratidão ou deslealdade, é o cão.
Senhores jurados, o cão permanece com seu dono na
prosperidade e na pobreza, na saúde e na doença. Ele
dormirá no chão frio, onde os ventos invernais sopram e a neve
se lança impetuosamente se lá seu dono estiver.

Quando somente ele estiver ao lado de seu dono, ele beijará a
mão que não tem alimento a oferecer, ele lamberá as feridas e
as dores que resultam dos encontros com a violência do
mundo. Ele guarda o sono de seu pobre dono como se fosse
um príncipe. Quando todos os amigos o abandonarem, o cão
permanecerá.
Quando a riqueza desaparece e a reputação se despedaça, ele é constante em seu amor como constante
é o sol em sua viagem através do firmamento. Se a fortuna arrasta o dono para o exílio, o desamparo e o
desabrigo, o cão fiel perde o privilégio maior de acompanhá-lo, para protegê-lo contra o perigo e para lutar
contra seus inimigos. E quando a última cena se apresenta, a morte o leva em seus braços e seu corpo é
deixado na lage fria, não importa que todos os amigos sigam o seu caminho: Lá, ao lado de sua sepultura,
se encontrará seu nobre cão, a cabeça entre as patas, os olhos tristes mas em atenta observação, fé e
confiança, mesmo à morte.

George G. Vest
Um Post diferente só porque me apetece
 
 Daqui Do Meu Cantim-nho

 

Livros que estou a ler

Estou na saga de Harry Holle do autor Jo Nesbo : Já li -O Morcego;Baratas;O Boneco de Neve (fantástico) E agora estou com -O Fantasma depois -Policia e A Sede